Produzir e disseminar o conhecimento é um dos objetivos da Rede Conecta UPF, espaço de inovação e tecnologia que aproxima a Universidade das empresas de Passo Fundo, região e de todo o país. Esse sistema de troca é potencializado com a interação entre mercado e academia, colocada em prática com a participação de estudantes de vários cursos, dentro das empresas residentes na estrutura do UPF Parque. Os resultados são reais e sentidos em todas as frentes: na produção do conhecimento, no crescimento da empresa e no desenvolvimento de novos produtos, metodologias e experiências.

As ações da Conecta estão baseadas em cinco eixos estratégicos: Transferência de tecnologias, interação universidade-empresa, estímulo ao empreendedorismo, fortalecimento da pesquisa e disseminação da inovação. A partir disso, projetos, ações e a aproximação com empresas das mais variadas áreas, visam estabelecer relações e provocar mudanças que beneficiam tanto a comunidade acadêmica, quanto o mercado e o mundo dos negócios.

Essa relação se dá, muitas vezes, com a realização de estágios. E é isso que ocorre na empresa Stara, residente no módulo III do UPF Parque. Voltado para área da tecnologia agrícola, o espaço localizado na UPF contava com sete estagiários, mas dois deles foram efetivados recentemente.

Andrei Becker Pacheco, desenvolvedor de softwares da Stara e responsável pelo setor, destaca que a inserção da empresa junto à UPF permitiu um novo olhar sobre as práticas e sobre as potencialidades. Há quase três anos imersos na Rede Conecta UPF, eles atuam sobre três pilares que regem as ações. “Primeiramente nosso foco está na captação de talentos, que para nós é fundamental para o envolvimento com a tecnologia e com os novos métodos existentes no mercado. Segundo, os projetos inovadores, que somente são possíveis por serem feitos aqui dentro da Instituição. E por fim, essa integração com a Universidade, utilizando os espaços, a estrutura, o conhecimento dos docentes e promovendo uma troca e um crescimento, tanto para nós, quanto para a Instituição”, destaca.

Acadêmico do curso de Engenharia da Computação, Homero Kemmerich está no 7º nível e foi um dos estagiários efetivados na empresa. Para ele, a experiência permitiu o crescimento profissional antes mesmo do término da graduação. “Aprendi a trabalhar com diversas tecnologias, com as quais talvez eu não teria contato não fosse essa oportunidade. Essa interação da UPF com as empresas é fundamental para que possamos ter uma formação completa e dentro da realidade da nossa profissão”, frisa.

No 5º nível, Willian Brun, também cursa Engenharia da Computação. Ele ressalta a importância de aproveitar as oportunidades de crescimento e de acesso às mais diversas formas de ensino que existem dentro da UPF. “Entrei no primeiro semestre e foi uma oportunidade excelente para minha formação. Assim, vemos na prática aquilo que aprendemos em sala de aula. Essa integração com a Universidade é fundamental e faz toda diferença. Se pudesse dizer algo para os acadêmicos, de todas as áreas, é que aproveitem essas oportunidades e usufruam de toda a estrutura que a UPF oferece”, observa o acadêmico, agora funcionário da Stara.

Fotos: Camila Guedes

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui