O governador Eduardo Leite abriu, na manhã desta terça-feira (20/4), a aula inaugural virtual do Curso Superior de Polícia Militar (CSPM) 2021. Na sequência, o vice-governador e secretário da Segurança Pública, Ranolfo Vieira Júnior, conduziu a aula apresentando o programa RS Seguro aos 138 cadetes que, depois de formados, em 2022, serão capitães do quadro de oficias do Estado-Maior da Brigada Militar.

“A Brigada Militar é uma instituição com 183 anos que orgulha o Rio Grande do Sul não só ao longo da sua história, mas no presente, com ações que têm permitido estarmos vivenciando reduções expressivas nos diversos indicadores criminais, sejam patrimoniais ou contra a vida. E sabemos que a segurança é necessária para que se desenvolva a sociedade que desejamos e o Estado acolhedor e competitivo que queremos. Para isso, a Brigada Militar é extremamente importante, com suas ações de enfrentamento à violência e presença nas cidades, para que os 11 milhões de gaúchos possam conviver num mesmo território”, iniciou dizendo o governador. Os novos alunos-oficiais, todos são bacharéis em Direito (pré-requisito para ingresso na carreira de nível superior da Brigada Militar), eram aguardados após longo período de concurso público, iniciado ainda em 2018. As aulas começaram no dia 12 de abril, na Academia de Polícia Militar (APM), junto ao complexo do Departamento de Ensino, em Porto Alegre, seguindo rigorosos protocolos de segurança e saúde.

Mesmo com a pandemia, o governo está dando sequência à formação e ao chamamento de 1,8 mil novos servidores das instituições vinculadas às secretarias da Segurança Pública e da Administração Penitenciária, conforme cronograma de reposição e manutenção do efetivo, apresentado em novembro de 2019.

“Temos investido muito em viaturas, equipamentos e tecnologia para reforçar a segurança, mas vocês são nosso maior investimento: pessoas. Desenvolvemos um cronograma para incorporação de forma planejada ao longo do mandato para manter e reforçar nossos efetivos, implementar novos batalhões de choque e garantir que nenhum município gaúcho tenha menos do que cinco policiais militares, por menor que seja a cidade. Para isso, serão investidos cerca de R$ 1 bilhão em recursos humanos nas diferentes forças da segurança. É alto investimento, mas sabemos que o custo seria muito maior para os gaúchos se a violência imperasse e, sem contar, a perda de vidas, que é o principal bem que temos”, reforçou Leite.

Durante a aula inaugural, Ranolfo apresentou as diretrizes e premissas do RS Seguro, que, com a integração de diversas áreas do governo do Estado, além da parceria com as forças federais e municipais, de outros Poderes, da iniciativa privada e da sociedade, busca soluções sustentáveis no tempo para a melhoria contínua dos indicadores de criminalidade.

“É uma grande satisfação dar essa primeira aula e poder apresentar o nosso programa estruturante e transversal, que é o RS Seguro. Com uma série de ações integradas, conseguimos chegar aos menores indicadores de criminalidade da década no Estado. O plano de reposição do efetivo da Segurança Pública, como a formação dos futuros capitães da Brigada Militar que começamos hoje, integra a lista de ações do eixo de Combate ao Crime do RS Seguro”, disse o vice-governador Ranolfo.

Foto: Itamar Aguiar / Palácio Piratini

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui