Sexta edição do Seminário Agropecuário é realizada em Capão Bonito do Sul

Alimentos conservados para pecuária, solos e água e cereais de inverno foram assuntos abordados no 6º Seminário Agropecuário de Capão Bonito do Sul, realizado na manhã desta quinta-feira (16/04), no Gaúcho Futebol Clube. O evento foi promovido pela Emater/RS-Ascar e Prefeitura de Capão Bonito do sul e faz parte das comemorações dos 27 anos de emancipação político-administrativa do município. 

Na primeira palestra, o engenheiro agrônomo e assistente técnico regional da Emater/RS-Ascar Passo Fundo Vilmar Wruch Leitzke falou sobre alimentos conservados para pecuária. “É importante pensarmos em ter fontes de alimentos conservados, utilizar as áreas e os recursos disponíveis para produzir alimentos que serão importantes para os momentos de escassez”, destacou Leitzke. O agrônomo mostrou ainda que as culturas de verão no Rio Grande do Sul ocupam cerca de seis milhões de hectares, já as culturas de inverno ocupam aproximadamente 1,2 milhão de hectares, ou seja, há grande área de terra ociosa do período de inverno.

Na palestra sobre o solo como armazenamentos de água: reservação de água e irrigação, o técnico em agropecuária da Emater/RS-Ascar de Santo Expedito do Sul, Matheus Mignoni, apresentou resultados sobre armazenagem de água e utilização de irrigação nas propriedades rurais, com o uso de duas safras, aproveitando a área e aumentando a rentabilidade. “Os produtores conheceram essas alternativas e receberam informações sobre a legislação ambiental. Além disso, mostramos a importância não apenas da irrigação, mas aspectos de manejo de pragas e doenças, fertilidade do solo e manejo de cultivares”, explicou Mignoni.

Na sequência, o chefe adjunto de transferência de tecnologia da Embrapa Trigo, Giovani Stefani Faé, palestrou sobre a implantação de cereais de inverno como oportunidade no vazio forrageiro. “Pensando em pecuária de leite e de corte, os produtores precisam ter alimentos estocados para não ficarem vulneráveis em momentos de oscilação de preço ou de estiagem, como a gente vem passando nos últimos anos. E com os cereais de inverno eles têm opções de fazer cultivos trazendo ganhos para o solo.

O solo não pode ficar parado, porque fica muito vulnerável”, destacou. Faé frisou que um bom solo leva a uma boa forragem, uma boa forragem leva a uma boa vaca, que leva a um bom leite ou um bom terneiro. “É a base de tudo que vai garantir a oferta e para fazer isso é preciso de gestão, de planejamento. Para isso, trouxemos alternativas de cereais de inverno como aveia, trigo, triticale e cevada, com ciclos diferentes, características agronômicas diferentes, para que o produtor, dentro de cada realidade, consiga fazer esse encaixe para buscar o alimento conservado, mas também buscar maior renda seja com o pasto, o grão ou estocando em forma de feno, pré-secado e silagem”, explicou.

Estiveram presentes no evento o gerente regional e o chefe do Escritório Municipal da Emater/RS-Ascar, Dartanhã Luiz Vecchi e Mauro Sérgio dos Santos, o secretário municipal da Agricultura, Thiago Lima e o secretário de Administração, Miqueias Guadagnin, que representou o prefeito Felippe Junior Rieth.

Assessoria de Imprensa da Emater/RS-Ascar – Regional de Passo Fundo /            Jornalista Vanessa Almeida de Moraes

Fotos: Divulgação

Facebook
Twitter
WhatsApp
Posts Recomendados