Aline Biazebetti, de 27 anos, perdeu colegas de profissão e alunos; tragédia ocorreu na cidade de Saudades, no Oeste catarinense

A agente educativa Aline Biazebetti, de 27 anos, foi uma das pessoas que ajudou a socorrer as vítimas do atentado na creche Pró-Infância Aquarela, na manhã desta terça-feira (4), em Saudades, no Oeste catarinense.

“Consegui pegar uma criança no colo e levei de carro até o hospital. A princípio, pelo que informaram, sobreviveu. O menino tinha um corte na boca, perto do nariz e um no pescoço. Estava consciente e me olhava, mas estava pálido, por isso resolvi levar logo ao hospital”, contou. A professora trabalha na creche no período vespertino e perdeu uma colega que trabalha na sala atrás da sua. Ela mora na frente da escola e relatou que ouviu gritos vindos da creche. “Foi um susto. Nunca pensamos que isso poderia acontecer aqui. Perdi colegas de profissão, é muito triste. São crianças pequenas, acho que ele tentou acertar o que via pela frente”, comentou.

Suspeito está em estado grave
O suspeito dos assassinatos é um jovem de 18 anos, que entrou na creche com um facão e desferiu golpes contra as vítimas. Ele ficou gravemente ferido e foi conduzido ao município de Pinhalzinho, distante 11 km de Saudades.

Segundo informações preliminares, o jovem vivia isolado no mundo dos jogos de computador. O autor desferiu golpes também contra o próprio pescoço, além de abdômen e tórax, e foi encaminhado em estado gravíssimo ao Hospital em Pinhalzinho. Ele está sob escolta policial.

Foto: Willian Ricardo/ND

Fonte: ND+

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui