Atividades da Semana Farroupilha estão voltadas a solidariedade e ao tema anual do Centenário da Revolução de 1923

Inicia nesta quarta-feira (13) em Lagoa Vermelha a programação da Semana Farroupilha com recepção da Chama Crioula na Escola Agrícola e abertura oficial com sessão solene no CTG Alexandre Pato. Em reunião extraordinária no último sábado (09), coordenadores do Movimento Tradicionalista Gaúcho (MTG) decidiram cumprir calendário farroupilha.

A coordenadoria municipal seguiu a ordem, de que as Regiões Tradicionalistas que possuem condições de realizar suas atividades prossigam fazendo sempre com um olhar solidário, buscando arrecadar alimentos, roupas e outros donativos para ajudar os atingidos pelas enchentes. “Que nossos desfiles se tornem cavalgadas solidárias. Vamos ajudar nossos irmãos, essa é a nossa maior tradição” – disse a presidente do MTG, Ilva Maria Borba Goulart.

Em Lagoa Vermelha, cada entidade possui um ponto de coleta de donativos, que serão enviados as cidades atingidas pelas enchentes.

O tema anual, destaca os confrontos entre sul-rio-grandenses que começaram em 1835, com a Revolução Farroupilha, e que se estendeu até 1845. Depois veio a Revolução Federalista, em 1893, conhecida por sua violência. A última guerra entre povos do Rio Grande do Sul foi a Revolução de 1923, em alusão ao ano em que ela começou e terminou. 

Nessa época, o Estado estava dividido entre os aliados de Borges de Medeiros, que foi reeleito presidente do Rio Grande do Sul em 1923, e os aliados de Assis Brasil, seu opositor. 

Os correligionários de Borges de Medeiros usavam lenços brancos no pescoço e tinham o apelido de “chimangos”. Eles eram centralizadores e defendiam a permanência vitalícia do então presidente no poder. Já os correligionários de Assis Brasil usavam lenços vermelhos, eram os “maragatos”, e lutavam por uma oposição organizada e pela descentralização política. 

A Revolução de 1923, que começou no fim de janeiro daquele ano, depois do anúncio do resultado da eleição, terminou em dezembro, com o Pacto de Pedras Altas. Pelo acordo entre chimangos e maragatos, Borges de Medeiros pôde permanecer na presidência até o fim do seu mandato, em 1928. Em contrapartida, numa vitória da oposição, a Constituição de 1891 foi reformada, impedindo a partir de então a reeleição, a indicação de intendentes (prefeitos) e do vice-presidente do Estado.

O sucessor de Borges no governo gaúcho foi Getúlio Vargas, lenço branco, chimango. Em 1930, a Frente Única Rio-grandense, sob sua liderança, assumiu o governo do País, na Revolução de 1930.

Dentro da programação local, a Escola Estadual de Ensino Médio Trajano Machado, desenvolve a XXV Gincana Tradicionalista, onde irá conter trabalhos voltados ao tema. Além disso, as demais entidades integrantes da Comissão também elaboram atividades.

Foto: Arquivo Assessoria de Imprensa

Facebook
Twitter
WhatsApp
Posts Recomendados