Um dos primeiros dos hospitais a receber a nova remessa de medicamentos do kit intubação, nesta terça-feira (6/4), o Hospital Regional Nelson Cornetet, de Guaíba, estava em falta de bloqueadores neuromusculares, usados no procedimento de intubação em pacientes com dificuldades respiratórias em Unidade de Tratamento Intensivo (UTI).

O gerente administrativo da instituição, Matheus Prusch, diz que o atendimento, nesses casos, estava sendo realizado com outras opções de medicamentos para o mesmo fim. “A quantidade que recebemos hoje dá um fôlego para os nossos estoques. É de grande valia para qualificar o atendimento da UTI. Temos 10 leitos de UTI e estão todos ocupados. Estamos com dificuldade de comprar, mas quando encontramos disponível no mercado, adquirimos independentemente do valor, que está muito alto”, afirmou.

A remessa de 92 mil frascos de medicamentos que saiu nesta terça (6) do 3º Batalhão de Suprimento, em Nova Santa Rita, irá beneficiar 69 hospitais de todas as regiões do Estado. A ação dá continuidade aos esforços conjuntos da Secretaria da Saúde (SES) e Ministério da Saúde para evitar o desabastecimento de remédios para ventilação mecânica, fundamentais no tratamento de pacientes graves de Covid-19. Essa nova remessa foi enviada pelo Ministério da Saúde, e os critérios de rateio são de competência da SES. O armazenamento e a distribuição são realizados com auxílio do Exército Brasileiro. As caixas são separadas e armazenadas no 3º Batalhão de Suprimento e distribuídas pelo 3º Grupamento Logístico.

O lote desta semana é composto por 39.825 frascos de Atracúrio, 11.415 de Cisatracúrio, 22.630 de Midazolam e 18.929 de Rocurônio. De acordo com o diretor do Departamento de Assistência Farmacêutica da SES, Roberto Schneiders, esta é uma quantidade importante, porém ainda pequena frente à necessidade dos hospitais. Para otimizar a distribuição, medicamentos semelhantes ou que produzem o mesmo efeito estão sendo partilhados a hospitais diferentes.

O Midazolam será distribuído para 46 hospitais que têm leitos de UTI pelo Sistema Único de Saúde (UTI), e proporcionará uma cobertura mínima para quatro dias de consumo. Os outros medicamentos, que são bloqueadores neuromusculares, serão distribuídos a 58 hospitais que têm leitos de UTI pelo SUS e proporcionará uma cobertura mínima para cinco dias de consumo. O rateio foi realizado com base em um acompanhamento semanal da SES na rede hospitalar, em que as próprias instituições declaram a quantidade de medicamentos de seus estoques. A diretora do Departamento de Gestão da Atenção Especializada da SES, Lisiane Fagundes, explica que são utilizadas as informações mais recentes possíveis nos cálculos que definem quanto cada hospital irá receber.

A responsabilidade pela compra desses medicamentos é das instituições hospitalares, não fazendo parte da rotina da Assistência Farmacêutica do Estado. No entanto, frente à dificuldade de aquisição no país e ao aumento da demanda desde o ano passado, o governo do Estado e o Ministério da Saúde se articularam para comprá-los excepcionalmente e distribuí-los às instituições com estoques críticos e que prestam atendimento pelo SUS.

A SES realiza, com hospitais e pronto atendimentos, levantamento semanal do estoque dos 22 medicamentos para intubação. A ação de rotina visa acompanhar a quantidade de cada um na rede hospitalar, que sofre escassez desde julho do ano passado, em decorrência da pandemia de Covid-19. Já foram adquiridos medicamentos no mercado nacional e internacional, tanto pelo Ministério da Saúde quanto pelo Estado do RS.

Em 2020, foram distribuídos cerca de 150 mil frascos de medicamentos e, até o momento, em 2021, já foram entregues cerca de 225 mil frascos, entre aquisições do Ministério da Saúde e do governo do Estado.

Foto: Gustavo Mansur / Palácio Piratini

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui