No Colégio Bom Jesus, várias ações foram desenvolvidas em 2021 no sentido de auxiliar na adaptação dos estudantes à nova realidade, tornando as aulas remotas e o retorno às salas de aula confortáveis e produtivos para toda a comunidade escolar

Diante dos desafios impostos em 2020 e 2021, os colégios criaram uma série de mecanismos para que toda a comunidade escolar chegasse ao fim deste ano letivo com mais tranquilidade para o aprendizado e para a saúde mental de alunos e docentes. As ações vão auxiliar o início de 2022, quando os estudantes devem voltar cada vez mais, gradativamente, às atividades presenciais, conforme os protocolos sanitários de cada cidade.

No Colégio Bom Jesus, a adaptação para o ensino remoto e híbrido foi estudada e planejada detalhadamente em diversos aspectos, segundo a coordenadora de Educação Infantil e Ensino Fundamental I do Centro de Estudos e Pesquisas (CEP) do Colégio, Isabel Marconcin. “O retorno às aulas presenciais contribuiu não apenas para a aprendizagem, mas também para o desenvolvimento emocional e social das crianças. Poder partilhar vivências e experiências com os colegas de turma e professores, de modo presencial, reforçou o valor e a importância de as crianças estarem na escola”, afirma Isabel.

Os resultados de aprendizagem e desenvolvimento são reflexos das ações que tiveram início no começo do ano letivo de 2021, quando o Colégio Bom Jesus aplicou atividades de sondagem de modo a conhecer um pouco mais os domínios de conteúdos escolares de cada criança. Essas sondagens serviram de base para o planejamento de atividades de estimulação ou de intervenção pedagógica realizadas em sala, com toda a turma, ou no contraturno, com atendimento aos alunos em pequenos grupos. “No decorrer do ano, as diferentes avaliações contribuíram para ampliar a percepção dos professores em relação ao desenvolvimento e à aprendizagem de cada criança, de modo a oferecer subsídios para o (re) planejamento, tendo em vista o desenvolvimento e a aprendizagem das crianças”, explica Isabel.

Outras ações são realizadas pelo Colégio para o bem-estar no processo de retorno dos estudantes. Por exemplo, na adaptação ao ensino presencial, técnicas para fazer amizades foram ensinadas aos alunos de Educação Infantil no Programa de Desenvolvimento de Habilidades Socioemocionais (PDHS). Técnicas de relaxamento também são estimuladas como formas simples e rápidas de regular a resposta do organismo ao estresse. “Elas podem ser utilizadas antes de atividades avaliativas ou em outros momentos em que haja ansiedade, de forma a aliviar os sentimentos”, explica a médica do Departamento de Saúde Escolar (DSE) do Colégio Bom Jesus, Nicole Klas.

Estratégias de enfrentamento dos problemas que podem ser utilizadas para lidar de forma saudável com as emoções (para os alunos do 9.º ano) e resolução de conflitos (para alunos do 4.º ano) também compõem as ações do Colégio. Dentro do PDHS, são desenvolvidas, por exemplo, as habilidades de comunicação assertiva, de identificação de sentimentos e de resolução de problemas. “São recursos essenciais para que as crianças cultivem relacionamentos saudáveis e para que se tornem adultos aptos a enfrentar os problemas próprios da vida de forma saudável”, ressalta Nicole.

O PDHS inclui capacitações para os professores e materiais para os familiares. O DSE também desenvolve outros projetos, como o Programa de Prevenção ao Bullying e o Programa de Educação em Saúde.

Outro projeto realizado pela escola e que tem tido uma excelente receptividade na comunidade escolar é a Amorografia, em que o amor se caracteriza como prerrogativa das ações em todos os ambientes que o aluno e a família frequentam. “A Amorografia também se constitui numa oportunidade de ampliar as vivências escolares e de colaborar com o desenvolvimento integral das crianças e dos adolescentes”, comenta Isabel.

Crianças pequenas

As crianças com menos idade tiveram atenção especial. Segundo Isabel, elas possuem uma plasticidade, uma capacidade de adaptação muito grande. “As professoras incluíram na rotina escolar algumas das ações já citadas e passaram a contar com uma rede de apoio ainda maior, nos casos em que foi necessário mediar situações complexas ou diferentes das previstas”, conta.

Foram oferecidas atividades de estimulação em alfabetização para alunos do 1.º ano. Para alunos do 2.º ao 4.º ano, no contraturno, foram oferecidas aulas de intervenção para consolidação do processo de aquisição da língua escrita e da competência leitora, além de aulas de recuperação paralela em Língua Portuguesa e Matemática no contraturno, em pequenos grupos.

O Colégio se utiliza, ainda, da abordagem investigativa com os alunos. “De modo geral, as crianças são muito curiosas, e a abordagem investigativa, que valoriza a resolução de problemas e o desenvolvimento de projetos, propicia a exploração da curiosidade infantil em benefício da aprendizagem”, explica Isabel.

Apresentar desafios pedagógicos que não sejam muito fáceis nem muito difíceis, mas que possam ativar os conhecimentos prévios e o desenvolvimento de estratégias pessoais na resolução dos problemas propostos contribui para manter a motivação dos alunos. “Explorar os conhecimentos escolares tendo os alunos como protagonistas desse processo faz toda a diferença”, analisa Isabel.

Grupo Educacional Bom Jesus

Resultado de uma proposta pedagógica inovadora e que valoriza os ideais humanistas franciscanos, o Grupo Educacional Bom Jesus investe na formação integral e de qualidade, sendo reconhecido nacionalmente por sua excelência na Educação Infantil, Ensino Fundamental, Médio e Superior. Detentor das marcas Colégio Bom Jesus e FAE (FAE Centro Universitário e FAE Business School), o Grupo atua em cinco estados brasileiros, sendo fonte de credibilidade e pioneirismo na educação há mais de 120 anos.

O Colégio Bom Jesus oferece formação completa, da Educação Infantil ao Ensino Médio, com unidades localizadas nos estados de Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul. A FAE Centro Universitário está presente nos estados do Paraná e Santa Catarina e conta com mais de 20 cursos de graduação. A FAE Business School oferece mais de 50 cursos de especialização lato sensu, programas de MBA, sendo um semi-internacional ou internacional, educação executiva e programas in company, com cursos direcionados e personalizados para empresas e executivos.

A Pós-Graduação da FAE proporciona ao aluno grades flexíveis e metodologias exclusivas, para obter os melhores resultados para sua vida. Tendo como mote principal o “seu negócio é você”, a FAE considera que investir na carreira, nos estudos, no aperfeiçoamento constante, adquirindo, transformando e aprimorando habilidades, é uma necessidade premente para o sucesso. O conceito de lifelong learning está presente, colocando o aluno como protagonista na resolução de problemas.

Foto: Divulgação

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui