BRDE consolida resultado histórico com R$ 446,6 milhões de lucro líquido

O Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) consolidou resultados históricos em 2022, tanto em novas operações de crédito como no seu resultado operacional. Além de fechar o período com mais de R$ 4,4 bilhões em novos investimentos na região sul, o banco acaba de divulgar o balanço com um resultado operacional jamais visto na série histórica iniciada há mais de duas décadas, com um lucro líquido de R$ 466,6 milhões.

O desempenho superou em 67,5% o registrado no ano anterior em termos nominais (R$ 266,6 milhões), consequência do aumento nas operações de crédito, da baixa inadimplência (menos de 1%) e da evolução da carteira de operações de crédito (composta por 39,2 mil clientes ativos). Os números consolidados foram divulgados na última semana, com a publicação das demonstrações financeiras do banco em 2022.

“O resultado positivo abre novas possibilidades de se expandir mais recursos para financiamentos de projetos e programas que promovam o desenvolvimento do sul. Além disso, demonstram a transparência da instituição na operação de seus ativos”, explicou o presidente do BRDE, Wilson Bley Lipski.

Financiamentos na região sul

A indústria foi o setor que apresentou o maior volume de contratações, com valores de R$ 1,4 bilhão, aumento de 50,3% em relação ao ano anterior. Em seguida, agropecuária, comércio e serviços tiveram praticamente o mesmo nível de recursos – de aproximadamente R$ 1,1 bilhão – seguido da infraestrutura – que chegou a R$ 877 milhões, mantendo o patamar de 2021.

A captação de fundos internacionais foi responsável pelo aumento de 10,5% das operações, equivalente a R$ 459,7 milhões da Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD), do Banco Europeu de Investimentos (BEI) e do Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF).

Nessas parcerias, BRDE e AFD firmaram o terceiro contrato de empréstimo e cooperação técnica entre as instituições, no valor de 100 milhões de euros, em outubro de 2022. Os recursos serão direcionados para financiar projetos alinhados aos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável da ONU, com destaque para a geração de energia com fontes renováveis e a modernização dos sistemas de iluminação pública nas cidades. Em julho de 2022, o CAF duplicou o valor aprovado ao BRDE, que passou de 70 para 140 milhões de dólares, visando à ampliação do financiamento a empreendimentos que contribuam para o desenvolvimento sustentável na região sul.

Para o diretor de Planejamento, Otomar Vivian, os resultados históricos que o BRDE alcançou no ano passado, tanto no Estado como em toda a região sul, reforçam o papel estratégico da instituição. “O BRDE está fechando um ciclo com crescimento contínuo nos últimos anos. Foram muitos os desafios no período, mas o banco se mostrou um parceiro importante, apoiando projetos cada vez mais voltados à inovação e à sustentabilidade”, frisou o diretor.

No Rio Grande do Sul

O banco fechou 2022 com a marca de R$ 1,575 bilhão em financiamentos para empresas, cooperativas e prefeituras gaúchas, crescimento de 10,3% diante do total contratado em 2021 (R$ 1,428 bi). No acumulado dos últimos quatro anos, o volume nominal de investimentos no financiados pelo BRDE no Rio Grande do Sul ultrapassou a marca de R$ 4,6 bilhões.

O número de contratos realizados ao longo de 2022 registrou crescimento ainda mais expressivo. Especialmente por conta do programa Juro Zero RS, houve um salto de 166% de um ano para o outro, passando de 2.676 para 7.199 operações no Estado. Desse volume, o programa correspondeu a 5.523 financiamentos realizados para empresas de pequeno porte e Micro Empreendedores Individuais (MEIs), alcançando R$ 169,6 milhões de crédito apenas por meio do BRDE.

O setor da indústria de transformação, que considera também as agroindústrias, novamente fechou com os maiores volumes em termos de novos investimentos. Foram R$ 581,4 milhões em crédito, algo próximo de 48% acima do registrado no período anterior (R$ 391,2 milhões). Apenas para linhas de crédito focadas nas cooperativas agroindustriais foram mais de R$ 444 milhões em operações no período.

Mas, considerando todos os demais segmentos da cadeia do agronegócio e sua importância ao desenvolvimento regional, os financiamentos do BRDE para cooperativas, produtores rurais, vinícolas e demais empresas ligadas ao setor chegaram a R$ 1,03 bilhão no Rio Grande do Sul. Essa soma considera também, além dos valores destinados às agroindústrias, projetos de armazenagem, irrigação e agricultura de baixo carbono, entre outras linhas de financiamento voltados a quem produz no campo.

Caminho da Inovação

As contratações do BRDE para projetos de inovação, por meio da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), alcançaram R$ 186,1 milhões, equivalente a cinco vezes o valor contratado no ano anterior. Com isso, o BRDE ratifica sua posição nacional como o maior repassador de recursos da Finep.

Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná participam do BRDE Labs, programa criado para acelerar o desenvolvimento do ambiente de inovação na região sul. O foco é o acompanhamento e os investimentos em startups. O BRDE promove o programa com participação de empresas, mentorias e encontros de forma gratuita, em parcerias com instituições de ensino e todo o ecossistema de inovação.

Foto: Divulgação

Facebook
Twitter
WhatsApp
Posts Recomendados