Close

Sign In

Close

Reabilitação vestibular: Quem já não ouviu falar em “labirintite”? – Edição de Janeiro de 2014

Muito comum em pessoas idosas, porém ultimamente não é somente em pessoas idosas que a labirintite tem surgido juntamente com seus sintomas.

SUELEN

Primeiramente o que é labirintite?

Termo popular, geralmente utilizado em problemas relacionados ao equilíbrio, ou melhor dizendo, a perda dele. Na verdade, o termo correto a ser usado é “labirintopatia” (para designar as afecções do ouvido interno ou labirinto) e não labirintite, cujo significado correto é a inflamação ou infecção do labirinto, o que é uma manifestação bastante rara. Muitos profissionais também usam o termo “vestibulopatias” (para designar as afecções que acometem qualquer parte do sistema vestibular ou sistema de equilíbrio”) esses dois termos são mais adequados, também chamada Síndrome de Ménièri.

As causas podem ser trauma ou lesão à sua cabeça ou na orelha, infecções bacterianas: Se for encontrado em estruturas próximas, como o ouvido médio, alergias, abuso de álcool, tumor benigno no ouvido médio, certos medicamentos tomados em doses elevadas, hereditariedade, associadas aos sintomas de ATM, DTM e ESTRESSE.

Todas essas causas estarão sempre relacionadas ao labirinto, responsável nas funções da audição e do equilíbrio. Fica incrustado no osso temporal, um dos ossos do nosso crânio.

A parte anterior do labirinto (coclea) relacionada com a audição. A parte posterior (um conjunto de três canais chamados de semicirculares) relacionada com o equilíbrio.

As informações sobre o equilíbrio e a audição chegam ao cérebro através dos nervos vestibular e coclear, respectivamente. Por este motivo os sinais e sintomas são vertigem, náuseas, vômitos, perda de equilíbrio, dor de cabeça leve, zumbido, perda da audição, estes sintomas são frequentemente provocado ou agravado pelo mover a cabeça, sentar, rolar, ou olhar para cima e podem durar dias ou até mesmo semanas.

Muitos indivíduos que apresentam tais sintomas como a tontura também pode referir outros sintomas como ruídos no ouvido ou na cabeça (zumbido, tinido, sensação de “sopro” no ouvido), diminuição da audição, dificuldade para entender, desconforto a sons mais intensos e agudos, perda de memória, dificuldade de concentração, fadiga física e mental. Isso acontece devido à relação entre o sistema do equilíbrio com a audição e outras funções do sistema nervoso central.

Sintomas de origem muscular/ligamentar, como tonturas e vertigens, atrapalham muito devido ao receio de que a tontura volte a aparecer, a qualquer momento, podendo prejudicar bastante suas atividades profissionais. É aí que entra a fisioterapia em auxílio aos medicamentos indicados pelo médico otorrino. Por meio de exercícios, conhecido como reabilitação vestibular, ou seja, exercícios de reabilitação do equilíbrio.

É realizado por meio de um programa composto por exercícios, com os objetivos no geral:

Reduzir tontura e sintomas visuais;

Melhorar o equilíbrio estático e dinâmico (quando caminhando);

Aumentar os níveis de atividade durante o dia a dia.

Esses exercícios incluem:

Coordenar movimentos de cabeça e olhos;

Estimular o sintoma da tontura para dessa forma desensibilizar o sistema vestibular;

Melhoras as atividades para manter o equilíbrio e caminhar;

Melhoras a resistência muscular.

Porém devemos lembrar que os exercícios vão variar dependendo de cada tipo de lesão vestibular e de seus sintomas associados.

Alguns execícios:

SUELEN1

Devemos ressaltar o fato de que estes exercícios tem finalidade fisioterápica e que, portanto, necessitam acompanhamento de profissional habilitado. Os resultados dependes da execução correta e da repetição adequada dos movimentos.

 

fisiocentersuelen

 

 


Comentários + Novo Comentário

Deixe um comentário

* Campos Obrigatórios