Close

Sign In

Close

Lesão traumática do plexo branquial em adultos – Edição de Novembro de 2013

As lesões traumáticas do plexo braquial em geral são devastadoras, pois frequentemente não apresentam recuperação espontânea satisfatória e nem sempre respondem bem ao tratamento. Para a obtenção dos melhores resultados possíveis é necessário que o tratamento seja realizado dentro dos prazos apropriados. Por isso, uma vez realizado o diagnóstico o paciente deve ser encaminhado para um cirurgião de nervos o mais precocemente possível.

Marcos Página 25

Como é uma lesão do plexo braquial?

As lesões do plexo braquial em geral afetam tanto as funções motoras como as funções sensitivas no membro superior comprometido, suas raízes, que saem dos forames intervertebrais, são cinco: C5, C6, C7, C8 e T1. As raízes dão origem aos troncos superior (C5+C6), médio (C7) e inferior (C8+T1). Dependendo da gravidade e da extensão da lesão pode ocorrer uma paralisia parcial ou completa do plexo braquial:

– Alguns pacientes apresentam bom ou moderado controle dos dedos, mas pequeno ou nenhum controle sobre os músculos do ombro e do cotovelo (paralisia superior de Erb);
– Alguns pacientes conseguem usar seu braço, mas tem pequeno ou nenhum controle sobre os dedos (paralisia inferior de Klumpke);
– Alguns pacientes apresentam o membro superior completamente flácido, sem nenhuma função sensitiva ou motora (paralisia completa).
Com frequência os pacientes com lesão traumática do plexo braquial queixam-se de dor intensa no membro paralisado. Bem mais comum e intensa quando ocorre arrancamento dos nervos, é descrita como uma dor constante, compressiva ou em queimação, praticamente insuportável.

Marcos Página 25 fisiocentersuelen

Comentários + Novo Comentário

Deixe um comentário

* Campos Obrigatórios