Close

Sign In

Close

Após denúncias Eli Pegoraro afirma que deve deixar a Secretaria Estadual de Obras

Após denúncias Eli Pegoraro afirma que deve deixar a Secretaria Estadual de Obras

Ex-prefeito de Lagoa Vermelha e Diretor Geral da Secretaria Estadual de Obras está entre os investigados pela Operação Kilowatt

Entre os investigados da Operação Kilowatt realizada pela Polícia Civil, estão três diretores e um secretário-adjunto vinculados a duas secretarias estaduais.

São eles: Eli Pegoraro, diretor-geral da Secretaria Estadual de Obras Públicas, filiado ao PTB e ex-prefeito de Lagoa Vermelha; Germano Dalla Valentina, secretário-adjunto da pasta, também filiado ao PTB e um dos vogais da executiva estadual do partido; Odir Baccarin, diretor de Obras Públicas; e José Vellinho Pinto, diretor-presidente da Fundação Estadual de Produção e Pesquisa em Saúde (FEPPS), ligada à Secretaria Estadual de Saúde. Pinto também é ex-prefeito de Canela e filiado ao PDT.

Na investigação que resultou na Operação Kilowatt, os policiais civis encontraram itens com mais de 1000% de superfaturamento em obras da Secretaria Estadual de Obras. Em entrevista coletiva, os delegados da Delegacia Fazendária Daniel Mendelski e Joeberth Nunes afirmaram que as investigações duraram um ano mas avaliaram fatos desde 2008.

 

Ao todo, seriam seis obras cujos contratos com o governo estadual somam R$ 12 milhões, entre elas duas escolas e obras na FEPPS. Segundo Mendelski, em um dos casos, envolvendo o telhado da Escola Estadual Professor Oscar Pereira, em Porto Alegre, a reforma foi paga sem ter sido realizada. Após utilizarem o helicóptero da polícia, ficou comprovado que apenas foram trocados os beirais do telhado, deixando, assim, todas as telhas velhas no restante do local. Outro caso aponta para a obra de uma subestação de energia em que os disjuntores, que custam R$ 1 mil, foram superfaturados no valor de R$ 10 mil cada um.

Entre os crimes levantados pela investigação, estão: corrupção ativa, passiva, peculato, formação de quadrilha, falsidade ideológica, fraude à licitação e superfaturamento de valores.

Foram cumpridos oito mandados de prisão e 34 mandados de busca e apreensão em órgãos públicos, empresas e residências nas cidades de Porto Alegre, Ivoti, Nova Petrópolis, Canela, além de Limeira e Campinas, em São Paulo.

Entre os presos há quatro servidores e quatro empresários, e outros suspeitos investigados estão sujeitos à apreensão de veículos e bloqueio de bens. Na casa de um dos empresários foi encontrada a quantia de US$ 50 mil em espécie.

 

Ao todo, cerca de 150 policiais civis participam da operação, que é realizada pela Delegacia Fazendária do Departamento Estadual de Investigação Criminal.

Contrapontos

José Vellinho Pinto, presidente da Fundação Estadual de Produção e Pesquisa em Saúde (Fepps). Filiado ao PDT, é ex-prefeito de Canela, disse: “ Estou de férias. Voltei hoje até para tomar pé da situação, ver o que aconteceu na instituição. A obra da central elétrica do Lacen [que está sob suspeita] não é coordenada pela Fepps, o seu processo de licitação e execução. Estou aguardando ser intimado para prestar todos os esclarecimentos necessários. Não imaginava que estava sendo investigado, fiquei sabendo pela imprensa. Como estou em férias e tendo em vista que o PDT saiu do governo, já estou aguardando a nomeação do novo presidente, mas essa é uma decisão tomada desde a nossa convenção”.

 

Eli Pegoraro, diretor-geral da pasta e Dalla Valentina, secretário adjunto, são filiados ao PTB. Os dois e Baccarin, diretor de Obras Públicas, colocaram os cargos à disposição, mas foram orientados a levar documentos para casa e revisassem processos para verificar se há indício de participação nas fraudes.

 

por Rudimar Galvan – Cacique , dia 10/01/2014 às 09:04


Comentários + Novo Comentário

Deixe um comentário

* Campos Obrigatórios